Sensor Fotoelétrico – Como especificar?

Possui uma grande variedade de modelos construtivos,  diferentes tecnologias de detecção, sensores para detecção de marcas, tecnologia laser ou fibra óptica, sensor para controle de acesso, sensor de presença para áreas, entre outras.

Sensores ópticos para uso geral, mais comuns são:

1 – Reflexão difusa – A luz emitida é refletida pela superfície do objeto a ser detectado. Possui alcance limitado a 200mm ou  400mm, alguns modelos ate 800mm ou ainda 1000mm.

2 – Retroreflexivo – A luz emitida é refletida por espelho prismático que deve ser colocado perpendicularmente ao sensor. A presença de material objeto de detecção corta o feixe de luz, formando uma barreira impedindo o retorno da luz emitida. Possui alcance da ordem de 2m, 3m a 5m.

3 – Barreira – Neste modelo o feixe de luz é emitido por uma fonte luminosa (emissor) que é percebida pelo receptor, o que possibilita alcance da ordem de 10 a 20 metros ou mais. A presença de objeto entre o emissor e receptor ativa o sensor que deixa de receber o sinal luminoso.

4 – Fibra óptica – Utilizam se de fibras ópticas que conduz o feixe luminoso a laser, permitindo precisão e detecção de alvos milimétricos e grande velocidade de resposta. Possuem modelos com reflexão difusa e barreira.

Outros itens a observar para especificação de um sensor

– Configuração elétrica do sensor;

– Forma construtiva do sensor, cilíndrico ou não, saída cabo ou conector;

– Tensão de trabalho do sensor, se em corrente alternada ou corrente contínua;

– Sempre que possível prefira sensores para operar em corrente contínua, na tensão de 24V, por ser tensão mais usual em componentes e circuitos para automação, além de serem mais econômicos e maior disponibilidade no mercado e em muitos casos melhor desempenho.

Sensores fotoelétricos.